Entenda já por que usar o Google Search Console

Publicado em 18 de junho de 2018 . Categoria: Inbound Marketing | Marketing Digital

Você conhece o Google Search Console? Ele se tornou uma das principais ferramentas de monitoramento de desempenho e destaque de sites e blogs, principalmente depois que algumas informações relativas às palavras-chave sumiram do Google Analytics.

O recurso é indispensável para conferir como e por que o seu site está posicionado nos mecanismos de busca. Com ele, mesmo sem um conhecimento aprofundado sobre marketing digital, já é possível ter uma boa ideia sobre o que está funcionando e prejudicando o desempenho.

Então, vamos logo entender o que é, como funciona e por que usar o Search Console? Continue lendo e confira!

O que é o Google Search Console?

Como dissemos, o Google Search Console é uma ferramenta gratuita fornecida pelo Google voltada à melhoria da experiência de navegação.

Do ponto de vista dos proprietários de site, podemos dizer que ela mostra como o algoritmo do Google está “vendo” cada página, blog ou site. Assim, permite melhorar o seu posicionamento na pesquisa do Google com algumas medidas, como:

  • aumento da velocidade de carregamento;
  • análise sobre o que está gerando tráfego, e de onde ele vem;
  • estudo dos links importantes;
  • elaboração de estratégias de SEO.

Bom, se você já conhece ou ouviu falar da Google Webmaster Tools, saiba que estamos falando da mesma ferramenta. A mudança de nome ocorreu depois que esse tipo de análise se popularizou.

Hoje, não são apenas os webmasters que se dedicam a essa tarefa. Assim, o termo poderia dar uma falsa ideia de que ela era desenvolvida exclusivamente para profissionais altamente especializados, mas todos podemos usá-la.

Para ter acesso à ferramenta, basta acessar o endereço na internet, se cadastrar, adicionar seus sites, comprovar a propriedade deles (o que pode ser feito inserindo um código gerado na ferramenta), e aguardar o processamento por parte do Google.

Dependendo do seu nível de intimidade com a tecnologia, pode ser necessária a interferência do administrador do seu site. De qualquer maneira, todos esses procedimentos são explicados mais detalhadamente no processo de cadastramento.

Quais são as funcionalidades do Google Search Console?

A melhor forma de entender o funcionamento da ferramenta é conhecer as suas funções. Você pode identificar facilmente cada uma dessas funções no menu lateral do Search Console, posicionado do lado esquerdo da tela. Vejamos as principais delas:

Search appearance — Aspecto da pesquisa

O aspecto da pesquisa descreve cada detalhe que o Google está observando nas páginas do seu site. O título atribuído a cada uma delas, suas descrições, o autor, as imagens e assim por diante.

Um dos motivos para você usar e valorizar a ferramenta é a possibilidade de observar aqui, por exemplo, se a página que descreve os seus serviços está identificada como tal.

Search Traffic — Tráfego de pesquisa

Outro ponto muito importante para que você consiga resultados é identificar o que está atraindo visitantes para o seu site, como eles chegam a ele, os termos que pesquisam, os links que estão apontando para suas páginas etc. Eles estão todos aqui, com detalhes como o desempenho nos dispositivos móveis e de segmentação.

Google Index — Índice do Google

Nesse índice você verifica se suas páginas estão indexadas, e alguns dos problemas que o Google pode ter encontrado para indexá-las. Você também identifica as palavras-chave que mais aparecem. Isso é essencial para entender como a sua empresa aparece nas pesquisas.

Crawl — Rastreamento

Nessa aba, você observa mais detalhadamente as eventuais dificuldades que os robôs do Google estão tendo em vasculhar as páginas do seu site. Também é possível efetuar testes e adicionar o seu sitemap, que é uma relação com todas as páginas do seu site.

É comum observar esse mapa do site publicado no rodapé de cada página, mas aqui ele é exibido em XML, especialmente para os robôs do Google. Isso é fundamental porque lhe garante que os mecanismos de pesquisa estão compreendendo o seu site como você deseja.

O que não se pode deixar de acompanhar?

Todos os menus acima têm um submenu com várias funções mais específicas. Porém, no lugar de detalhar cada um deles, preferimos relacionar o que deve ser acompanhado com frequência.

Esse acompanhamento periódico é fundamental em razão do dinamismo do ambiente on-line e da importância do conhecimento prático. O ideal é que você elabore um planejamento de marketing, incluindo a definição de metas e objetivos de suas ações. Desse modo, seu acompanhamento será mais focado e efetivo.

Além disso, é essencial monitorar a saúde do seu site ou blog, já que nem todos os robôs são “do bem”.

Malwares e robôs elaborados com o objetivo de enganar os buscadores e conseguir melhor posicionamento, quando identificados, têm efeito bastante negativo. Por isso, o Search Console relaciona os bloqueios e cada uma das medidas que o Google toma em relação ao seu site — e você deve se manter atento em relação a isso.

Logo na abertura da ferramenta, a aba “mensagens” vai relacionar comunicados gerados automaticamente para informá-lo sobre esses e outros detalhes. Dentre eles, também estão problemas de design (HTML) e dificuldades de indexação.

Dito isso, você precisa se concentrar em entender como o seu público está encontrando o seu site, e o Google Search lhe ajuda com isso. Confira as perguntas abaixo e veja se não é importante respondê-las:

Quantas vezes ele está sendo exibido (impressões) nos resultados de pesquisas? Dentre os que visualizam, quantos clicam no seu link? Quais são as palavras-chave usadas? Elas correspondem às perguntas que o seu público faria?

Essas informações são facilmente encontradas no submenu “Search Analytics” do menu “Tráfego de Pesquisa”.  Esse painel conta com quatro filtros:

  • clicks: informa o total de clicks separados por páginas, localização e período;
  • impressões: quantidade de vezes que suas páginas aparecem nos resultados de pesquisa. É essa exposição que pode gerar cliques;
  • CTR (taxa de cliques): percentual de cliques em relação às impressões, ou seja, reflete a parcela de usuários que decidiram visitar o seu site, dentre todas as pessoas que viram a descrição do seu conteúdo nas pesquisas que fizeram;
  • posição: posição média das páginas do seu site ou blog nos resultados de pesquisa.

Enfim, depois de todas estas orientações, a melhor forma de dominar o uso do Google Search Console é praticar.

Assim que você conseguir o acesso completo, vai notar que relacionamos as funções na mesma sequência em que estão dispostas na ferramenta. Desse modo, pode retornar a esta postagem se esquecer de algo.

Só fique atento em relação à versão que está utilizando: no momento, já existe uma versão beta, com algumas variações.

Então, gostou do post? Quer continuar por dentro desse assunto? Então, acompanhe nossas publicações nos seguindo nas suas redes preferidas! Estamos no Facebook, no Twitter, no Google+, no Vimeo e no LinkedIn.

Tags: