De Volta para o Futuro: como saber se as estratégias digitais do seu hotel ainda estão presas em 1985

Publicado em 22 de outubro de 2015 . Categoria: Sem categoria

A internet está ditando o ritmo e o desenvolvimento tanto do mercado como do comportamento dos clientes

No dia 21 de outubro de 2015, Marty McFly, personagem do ator Michael J. Fox, na trilogia De Volta para o Futuro, do diretor Robert Zemeckis, estaria viajando no tempo para este momento. Com o mote nesse assunto, a SiteMinder, empresa norte-americana de marketing digital, listou, em seu blog, cinco pontos que julga fundamentais, para saber se as estratégias de marketing do seu hotel estão presas ao ano de 1985, ano de lançamento do primeiro filme.

O seu hotel está seguindo as mudanças do mercado? Está se adaptando à interferência constante da tecnologia?

O seu empreendimento está preparado para o futuro ou está congelado em 1985?

Essas foram algumas das perguntas levantadas pelo SiteMinder, para a criação do ranking.

De acordo com a listagem, o primeiro sinal de que um hotel não está acompanhando as mudanças de seu tempo é se ele depende fortemente de canais de reservas tradicionais.

O ambiente digital é praticamente inerente ao estilo de vida contemporâneo. Sendo assim, é cada vez mais esperado que canais online ganhem mais representatividade do que meios físicos.
De acordo com um relatório feito pela Skift-SiteMinder, já houve um declínio de 9% nas reservas por telefone, coincidindo com um aumento de 7% em reservas online. A pesquisa aponta ainda a continuidade dessa tendência.

Não ter um sistema de reserva pela internet
Conforme o estudo, uma plataforma de reservas pela internet integrada ao site do hotel pode ter desempenhos mais eficazes com menores custos de aquisição do que um agente de viagens. Não ter um booking engine faz com que o seu hotel perca reservas.

Gerir manualmente os canais de distribuição
Automatizar a gestão das dezenas de canais de reservas por meio de sistemas digitais pode não somente otimizar tempo, como deixar o hotel mais rentável, permitindo-lhe expandir o seu alcance global através da distribuição online.

Ninguém “curte” você

A pesquisa aponta que os hóspedes podem amar o seu hotel mas, se este não é promovido ou divulgado nas mídias sociais, o empreendimento perde a chance de adquirir ‘curtidas’ e chamar atenção de clientes em potencial.

Só no mês passado, o Facebook teve um bilhão de usuários conectados em uma só vez.

Não é apenas o volume de pessoas que faz com que a mídia social seja valiosa.

As pessoas consideram a indicação de amigos e conhecidos.

Então, se o hotel tem curtidas ou é compartilhado, acaba atingindo grande quantidade de pessoas.

Você não é um hotel conhecido

Conforme o portal, a ascensão de sites de análise, como TripAdvisor, teve efeito expressivo sobre a indústria de viagens.

De acordo com a pesquisa, hoje 90% dos consumidores leem comentários sobre hotéis, sendo que a classificação de estrelas é um fator utilizado pelos clientes para julgar o empreendimento.

A internet está ditando o ritmo e o desenvolvimento tanto do mercado como do comportamento dos clientes, sendo assim, acompanhar as mudanças temporais não precisa ser um tarefa difícil, mas necessária, para que um empreendimento perpetue seu diferencial e preferência em meio ao consumidor do futuro.

Fonte: https://www.hoteliernews.com.br

Roder Cypriano

O que faz uma Agencia de Inbound MKT

Tags: