Transformação digital: o atual estado em diferentes mercados

Para não perder presença no mercado, organizações de todo o mundo seguem o embalo da transformação digital despertada já no século XVIII, com a primeira Revolução Industrial. Em 300 anos, processos de aperfeiçoamento tecnológico alcançaram os mais diversos setores ao redor do mundo, proporcionando a alguns deles as mais surpreendentes soluções mercadológicas, como maior produtividade e redução de custos.

Você sabe a que pé anda o seu setor em relação à corrida digital hoje? Saber reconhecer as implicações dessas transformações para o seu negócio faz toda a diferença para o crescimento da sua empresa.

No post de hoje, falaremos sobre o atual estado da transformação digital em diferentes mercados. Continue a leitura e saiba mais!

O atual estado da transformação digital em diferentes mercados

Embora ainda haja muitas empresas que não possuem líderes preparados para levar os negócios ao passo das transformações tecnológicas desta era chamada pós-digital, podemos mapear alguns setores que avançam consideravelmente em inovação e que nos mostram o potencial de soluções que a tecnologia apresenta às diversas áreas da vida humana.

Telecomunicações

As telecomunicações são não apenas elas mesmas um grande avanço tecnológico, como também desdobram inovações em inúmeros setores de comunicação eletrônica – como o e-mail marketing e o recente WhatsApp Business, por exemplo, dois ótimos recursos que têm levado a outro nível o relacionamento entre as marcas e o público.

Como sabemos, a comunicação instantânea é parte do dia a dia da população, o que estimula ainda mais o aperfeiçoamento telecomunicativo empresarial, já que a conexão em tempo integral cria espaço para o público de variados mercados.

Por esses motivos, o setor de telecomunicações é um dos que mais rapidamente avançam, garantindo constantemente soluções que conectam seus serviços às necessidades dos usuários.

  • Inteligência Artificial e Machine Learning, recursos utilizados para tornar totalmente digital a experiência do usuário com a marca; os chatbots (robôs eletrônicos que atendem distintas dúvidas do usuário) é um desses casos, que opera agilizando os processos de suporte aos usuários por meio de um atendimento automatizado e padronizado;
  • Big Data, outro grande recurso da telecomunicação, utilizado para analisar padrões de comportamento através da coleta de dados dos usuários. Com esses dados estruturados, é possível identificar o comportamento de compra do cliente e seus hábitos de consumo, o que permite às empresas antecipar tendências e tomarem melhores decisões.

Finanças

Qualquer pessoa que usa serviços bancários percebeu o quanto os diversos processos de atendimento ao cliente evoluíram. Temos hoje no mercado operadoras de cartão de crédito independentes de agências físicas, prestando os mais variados serviços online pelos smartphones, com praticidade e gratuidade nunca experimentados. No Brasil, temos os casos do Nubank e do Banco Inter.

Sentindo o impacto da concorrência e atentos aos hábitos do consumidor, os bancos convencionais também estão potencializando sua interação com os clientes por meio de soluções digitais. Algumas delas são:

  • Aplicativos para smartphones, nos quais o usuário pode realizar variadas operações sem precisar gastar tempo se deslocando à agência e enfrentando filas;
  • Chatbots, com quem clientes tiram dúvidas online sobre produtos e serviços bancários. No Brasil, o Banco Bradesco criou a Bia, robô de conversação também disponível para os funcionários da agência;
  • Além dos aplicativos bancários e dos chatbots, outras inovações no setor de finanças são os caixas eletrônicos inteligentes, que permitem transações baseadas em identificação biométrica.

Tecnologia

Pai das inovações mercadológicas, o setor tecnológico é, sem dúvida, o mais preparado dos nichos. Isso porque ele possui nas mãos as armas e as estratégias de desenvolvimento necessárias para enfrentar as mais diversas demandas do mercado.

Algumas das principais inovações nesse âmbito são:

  • Computação em nuvem, com alta capacidade de armazenamento online, com infraestrutura ilimitada, ideal para grande quantidade de dados, impossíveis ou dificultosos de serem trabalhados em discos rígidos;
  • Computação cognitiva, na qual computadores aprendem e preveem dados, a fim de otimizar serviços e produtos.

Saúde

A parceria entre saúde e tecnologia é de longa data, a exemplo dos remédios que são fabricados seguindo um sistema de produção minucioso, tecnologicamente executado. Mas a inovação não para por aí, veja outras inovações recentes na área:

  • Internet das coisas (IoT), com softwares wearable (aparelhos incorporados à roupa ou usados ​​no corpo como implantes ou acessórios), é possível capturar e monitorar sinais de saúde, por meio de uma minuciosa associação entre o corpo humano e a tecnologia;

É o caso do software de acompanhamento de pré-natal digital desenvolvido pelo Grupo Perinatal, maior companhia de maternidade da América Latina, em parceria com o Laboratório de Engenharia de Software da PUC-Rio. O aplicativo funciona como uma inteligência de suporte médico por meio de um depositório de dados, que armazena e dispara informações necessárias que vão do pré-natal ao parto.

Digno de menção também é o projeto Solução Inteligente de Tratamento da Obesidade Infantil por meio do Potencial da Internet das Coisas, que desenvolveu um software de monitoramento de saúde e rotina de crianças. O aplicativo consiste em um sensor que coleta dados biomédicos em tempo real sobre as atividades físicas, batimentos cardíacos, queima calórica e refeições, além de acompanhar os casos de obesidade e propor mudança de comportamento;

  • Prontuários eletrônicos, capazes de armazenar informações dos pacientes em repositórios virtuais, facilitando o acesso e o compartilhamento dos registros com agilidade e praticidade;
  • Analytics, grandes bases de dados com processamento de diagnósticos que auxiliam equipes médicas a tomarem decisões mais assertivas.

Conclusão

A transformação digital é um processo que tem a tecnologia como base de toda mudança estrutural. Chamado também de 4ª Revolução Industrial por seu impacto em toda a sociedade, esse fenômeno não se trata simplesmente de um recurso de TI ou medidas estratégicas de marketing e venda, como possuir um site ou monitorar as redes sociais. A questão é mais profunda. Trata-se de um fato social e cultural, percebido e vivido por todos, em maior ou menor grau.

Por isso, criar uma cultura digital na sua empresa é tão importante.

Para continuar acessando os nossos conteúdos, acompanhe o nosso blog e siga as nossas redes sociais Facebook e Instagram para não perder nenhuma novidade.

Até o próximo post!

Equipe Olá Multicom.