Muitas empresas penam na hora de desenvolver o plano de marketing. De fato, essa não é uma tarefa fácil, pois é nessa hora que surgem questões essenciais para definir o rumo da empresa em curto e em médio prazo.

A criação desse documento é complexa e, geralmente, muito demorada. No entanto, sem ele a empresa fica sem direcionamento ou mensuração em suas campanhas publicitárias — fatores essenciais para o aperfeiçoamento das estratégias.

Pensando nisso, listamos aqui alguns pontos que devem ser considerados na hora de elaborar o seu plano de marketing industrial. Acompanhe!

Faça uma análise situacional

Nesse ponto, é preciso detalhar tudo o que marketing da sua empresa tem feito. Quais são as campanhas que estão dando — ou deram — os melhores resultados?

Perguntas como “quais ofertas cativaram mais o meu público?” e “qual segmentação conseguiu atingir as pessoas certas para os meus produtos?” são importantes nessa fase.

Dessa maneira, será possível tirar proveito da experiência adquirida ao longo do tempo.

Considere aperfeiçoar seu website

O site de uma empresa é a sua referência no mundo online, portanto, você precisa que ele seja responsivo. Funcionar adequadamente em todos os dispositivos que acessem a internet como notebooks, smartphones e tablets, é essencial. Afinal, o seu público deve poder acessá-lo, da forma que melhor convier a ele.

Agora, se você vende para empresas de outro país ou pretende fazer isso no futuro, talvez seja a hora de considerar a criação de uma versão em outra língua para o seu conteúdo.

O inglês é universal, mas dependendo de seu público, considere o espanhol e o francês também.

A otimização do seu site, além de melhorar a experiência do usuário, também colabora para subir a sua empresa nos ranqueamentos dos mecanismos de busca como o Google e o Bing.

Pense em segmentar sua comunicação

O setor industrial tem que lidar com um leque grande de diferentes públicos: distribuidores, revendedores, fornecedores, entre outros.

Cada um desses clientes têm uma relação diferente com a sua empresa. Por isso, ao segmentar suas ações de comunicação, você acaba por ganhar em tempo e efetividade.

Uma dica importante é criar um banco de dados com divisões estabelecidas para cada público.

Assim, fica mais fácil enviar propostas e ofertas para as pessoas certas e no momento certo.

Investigue novas ferramentas e mídias

A hora de criar o plano de marketing é o momento ideal para descobrir estratégias inovadoras.

O marketing digital tem uma cartela de opções que devem ser levadas consideradas nesse sentido. Podemos citar o e-mail marketing, campanhas de mídias em redes sociais e, em especial, a prática do Inbound Trade.

É preciso evidenciar que a criação de conteúdo digital aliado ao trade marketing já é uma realidade nas campanhas B2B (marketing entre empresas).

Considere criar um blog com postagens, textos e imagem que irão cativar seu público e te ajudar na hora de fechar negócios.

Técnicas de Inbound Trade podem ajudar empresas do setor industrial a vender mais e também a fortalecer a sua marca

Defina um orçamento para o plano de marketing

É impossível pensar em plano de marketing sem considerar o custo que ele acarreta.

Cada empresa trabalha com uma porcentagem diferente em relação aos seus lucros para chegar nesse número.

É preciso calcular a taxa de Retorno sobre o Investimento — de cada ação de marketing e combinar as projeções com números de vendas atuais.

Gostou do nosso texto sobre itens a serem considerados na hora de criar o plano de marketing?

Curta nossa página e compartilhe nas suas redes sociais.

Roder Cypriano
OLÁ Multicom

Agência Parceira LAHAR

Lead é um termo muito usado no Marketing Digital.

Mas você conhece o seu significado? Ou sabe como gerar mais leads para seu negócio?

É justamente sobre isso que vamos falar no artigo de hoje.

Há cerca de 6 meses atrás comecei a receber ligações de vários corretores de imóveis com ofertas “irresistíveis” de apartamentos de alto padrão.

Realmente, as ofertas eram muito boas!

Mas não para mim.

Eu não tinha demonstrado o menor interesse em comprar um apartamento e não fazia a menor ideia do por quê estava recebendo aquelas ligações.

Não só eu não tinha a necessidade daquele produto, quanto ainda fiquei irritado em receber aquelas ligações, que estavam atrapalhando minha concentração no trabalho ou até em momentos de lazer.

Os corretores estavam usando uma estratégia de venda fria. Ligando para diversas pessoas em uma lista de contatos, mas sem contato prévio ou critério de seleção algum.

A taxa de sucesso desse tipo de venda é bastante baixa, especialmente porque exige uma grande quantidade de esforço por parte dos vendedores.

Em cada uma dessas ligações, o corretor precisa explicar quem é, qual o produto que ele está vendendo antes de apresentar seus benefícios, tornando o processo ainda mais longo.

De acordo com um estudo do Centro de Pesquisa Keller, apenas 1% das “ligações frias” resultam em uma reunião com o possível cliente.

Agora se esses corretores tivessem se preocupado em captar leads e gerar valor para eles, aposto que o retorno seria muito maior.

Certamente, eu não teria recebido nenhuma ligação :=)

Lead é um cliente em potencial, que passa por uma transformação de uma pessoa que nunca ouviu falar da sua empresa para alguém que poderia comprar de você.

Um visitante que chega até o seu site não é um lead.

Porém, a partir do momento que ele(a) demonstra interesse, fornece seus dados de contato e assina sua lista de emails, ele(a) passa a ser um lead.

A venda não é garantida, porém, as chances de sucesso são infinitamente maiores.

Você quer saber como apostar na geração de leads pode melhorar suas vendas? Então, continue lendo esse artigo para saber mais sobre lead:

Gostou do que vem por aí? Então compartilhe com seus amigos para que cada vez mais pessoas consigam resultados melhores para seus negócios.

LEAD: SUA MELHOR CHANCE DE CONCRETIZAR VENDAS

lead-001

Como vimos, um lead é alguém que já demonstrou algum tipo de interesse no valor gerado por seu produto ou serviço, ou, pelo menos, no conteúdo gratuito que você está oferecendo.

Esse interesse se concretiza quando o lead fornece seus dados de contato em troca de algo, seja um conteúdo premium ou para ter acesso à versão trial de algum produto seu.

Demonstrar interesse não significa que o lead irá comprar sua solução.

No entanto as chances aumentam consideravelmente.

Ao invés de você receber uma ligação ou email de alguém que nunca ouviu falar, você será contatado por alguém com quem já permitiu algum tipo de contato.

Comunicar para um mercado de massa esperando atingir alguém, só resulta no desperdício de recursos financeiros e de tempo.

Se em 2007, bastavam uma média de 3,68 “ligações frias” para conseguir encontrar um lead. Hoje, são necessárias cerca de 8 ligações. Muito mais trabalho, concorda?

Investir na captação de leads é parte fundamental da estratégia de marketing B2B.

Geralmente, os produtos e serviços ofertados nesse tipo de mercado são caros e 9 entre 10 tomadores de decisão dessas empresas não respondem mais à ligações de pessoas com quem não têm um relacionamento prévio.

Nesse caso, a geração de leads tem como intuito educar e criar um relacionamento de longo prazo entre a empresa e sua base de clientes.

Cerca de 74% compradores B2B escolhem os vendedores que primeiro geram valor, através da criação de conteúdos informativos, como uma demonstração de gratidão àqueles que primeiro pensaram na sua necessidade e depois na venda.

O mesmo vale para o mercado B2C, onde empresas vendem diretamente para os consumidores.

Você precisa dar, antes de pensar em receber se quiser que o visitante do seu site se torne um lead.

O email-marketing continua sendo a forma mais eficaz de manter a comunicação mais próxima com seu audiência, mas ninguém irá fornecer seu email à toa.

Antes você deve mostrar que tem algo interessante para oferecer em troca dos dados do seu lead.

E não há melhor maneira de fazer isso do que através do marketing de conteúdo.

MARKETING DE CONTEÚDO: SEU MELHOR ALIADO NA CAPTAÇÃO DE LEADS

lead-002

Os consumidores recorrem à pesquisas na internet antes de comprar produtos ou contratar serviços.

Além disso, também procuram estabelecer uma relação mais próxima com as marcas de sua preferência, mesmo depois de comprar.

Portanto, se você quer vender, seja pela internet ou não, é essencial que você ofereça conteúdos gratuitos e de qualidade para a sua audiência.

O objetivo do marketing de conteúdo é vender mais produtos e serviços através da criação de conteúdos relevantes, que atraem, envolvem e estimulam alguma ação por parte do cliente, como:

Nem todos os seus visitantes estão prontos para tomar qualquer uma dessas ações. Muito menos para efetuar uma compra.

E é justamente para iniciar o processo de preparação de um visitante a lead e, depois, aquecer esse “lead frio”, que o conteúdo pode ser utilizado.

Você precisa fazer com que o lead vá percorrendo o funil de vendas, do topo ao fundo, onde ele estará “pronto” para receber uma oferta.

Porém, para cada etapa do funil é preciso oferecer tipos de conteúdo específicos.

Um lead que está no topo do funil terá uma necessidade diferente daquele que já se encontra no meio ou no fundo. E você precisa produzir conteúdos que atendam a essas necessidades se quiser aumentar sua taxa de conversão.

Como você pode imaginar, fazer com que o lead, que está no topo do funil de vendas vá percorrendo cada uma das etapas até chegar ao fundo, não é um processo rápido.

Mas acredite em mim: os resultados não deixam a desejar.

Se você faz uma oferta para quem ainda não está pronto para comprar, você pode espantar esse visitante de uma vez por todas do seu site, sem nem ter a chance de convertê-lo em um lead.

E não é por que um visitante virou lead que você deve começar a oferecer seus produtos para ele.

Primeiro é preciso nutrir o lead, criando mini ofertas para cada uma das etapas do funil.

Portanto, vamos conhecer quais conteúdos você pode utilizar para cada uma dessas fases:

DE LEAD A CLIENTE: O PAPEL DO CONTEÚDO NA TRANSFORMAÇÃO

lead-003

Transformar um visitante em lead já é um grande passo em direção a uma possível venda.

Mas o lead ainda está no topo do funil e provavelmente, não está pronto para receber uma oferta.

Certamente, ele chegou até ali atraído por um conteúdo de qualidade, talvez um artigo ou vídeo bem ranqueado.

É exatamente esse o objetivo de um conteúdo de topo de funil. E ao focar na atração de lead, você pode estar recebendo visitantes de todos os tipos:

  • Aqueles que estão entrando em contato com seu trabalho pela primeira vez;
  • Outros que já acompanham seu conteúdo;
  • Acompanham seu conteúdo, mas não estão preparados para comprar;
  • Já estão interessados em comprar mas nunca tomaram uma ação;
  • Estão comprando pela primeira vez;
  • São clientes fiéis da sua empresa;
  • São leads porém nunca vão comprar de você.

Você concorda que, oferecer o mesmo tipo de conteúdos para todos esses perfis não será eficaz, certo?

Portanto, além de conhecer bem a persona ideal da sua empresa, você precisa saber em que etapa está o lead para aumentar as chances de conversão através do conteúdo.

Conteúdos para transformar visitantes em leads

lead-004

Quem está no começo da jornada de compra demonstrará mais interesse em conteúdos informativos.

Aqueles que se encontram nesta etapa da jornada ainda não reconhecem uma necessidade clara e muito menos enxergam a solução oferecida por você como algo necessário.

O lead ainda não está maduro o suficiente para comprar e fazer uma oferta nesta etapa pode ser fatal, já que você acabará afastando e não atraindo audiência, que é o principal objetivo de conteúdos de topo de funil.

Para quem se encontra aqui, você precisa produzir conteúdos informativos, que atraiam mais pessoas e para que elas entrem em contato com sua marca.

O conteúdo de topo de funil serve para aumentar o tráfego para seu site ou blog, se estiver otimizado para SEO e assim gerar mais leads.

Os melhores tipos de conteúdo são:

  • Artigos com caixa de captura de email ao longo do conteúdo;
  • Infográficos;
  • Ebooks;
  • Vídeos;
  • Podcasts;
  • Conteúdos que despertam emoções para as redes sociais;
  • Cursos online gratuitos;
  • Quizzes;
  • Planilhas.

O que todos esses conteúdos precisam ter em comum?

Uma maneira de capturar o email da sua audiência.

Esse tipo de conteúdo visa coletar informações sobre os leads, sendo perfeitamente aceitável colocar uma “barreira adicional” antes do download.

Sem isso, você não terá como converter os visitantes e leads e nem conseguirá manter um relacionamento.

O próximo passo, depois de gerar leads é fazer a chamada “nutrição de leads”.

Nutrição de leads através do conteúdo

lead-005

Na etapa de meio do funil, você terá a chance de aprender mais sobre seus leads e também deve fazer com que seus potenciais clientes aprendam um pouco mais sobre você e seu negócio.

O lead “nutrido” já começa a enxergar algumas necessidades e certamente considera a sua solução na hora de atendê-la se você conseguiu fazer com que ele avançasse através do funil.

Ao mesmo tempo, você consegue enxergar melhor quem é um lead qualificado, ou seja, quem representa uma oportunidade real de venda e que merece uma atenção especial.

Nessa etapa, você pode mandar uma sequência automática de emails, porém personalizada de acordo com o interesse do seu lead.

A qualificação de leads resulta em diminuição de custos de vendas e no melhor gerenciamento da base de clientes.

Ainda assim não é o momento de produzir conteúdos falando da sua solução ou entrar em contato para tentar fazer uma venda, nem por email, nem por telefone.

O lead que está no meio do funil precisa de informações mais aprofundadas sobre o seu nicho de mercado, com o intuito de educar o potencial cliente e mostrar porque as pessoas precisam de seus produtos/serviços.

Os formatos mais adequados para essa etapa do funil são:

  • Artigos mais aprofundados;
  • Entrevistas com especialista do mercado;
  • Pesquisas;
  • Ebooks;
  • Estudos de caso;
  • Revista Digital.

Se o lead clicou e baixou, tanto os conteúdos de topo de funil quanto de meio, a probabilidade é que ele esteja pronto para avançar para a próxima etapa de fundo de funil e finalmente receber uma oferta.

Transforme seu lead em cliente

lead-006

O lead que chega até o fundo do funil de vendas, já sabe o que você faz e já teve conhecimento, inclusive, de casos de sucesso da sua empresa.

Portanto, essa é a hora certa de fazer uma oferta.

Mande um email apresentando seu produto ou serviço e direcionando para a página de vendas do seu produto, onde o lead encontrará mais informações.

Por exemplo, no nosso curso de Produção de Conteúdos Memoráveis, nós direcionamos os leads para um webinário gratuito sobre o tema.

Não só ele terá a chance de conhecer mais sobre o produto, como também de experimentar nosso método de ensino.

O lead que chega até o fundo do funil possui uma necessidade e está analisando as opções disponíveis no mercado e fazendo comparações para decidir qual a melhor proposta.

Essa é a hora que seu conteúdo precisa vender, mostrando que é você quem tem a melhor opção disponível.

Aqui você pode falar da sua empresa e da sua solução.

Recomendo, inclusive, que você faça uma página de vendas com todas essas informações sobre seu produto ou serviço.

Se essa página tiver conteúdo em vídeo, mais alta a sua taxa de conversão.

Você pode, e deve, mostrar casos de sucesso de seus clientes, como depoimentos e estudos de caso.

Deixe bem claro quais as melhorias que você proporcionou na vida dessas pessoas ou empresas.

Também não deixe de responder todas as dúvidas dos seus leads.

Para essa etapa da jornada, alguns tipos de conteúdo são mais indicados:

  • Vídeos e depoimentos com casos reais.
  • Webinários para solucionar dúvidas.
  • Vídeos explicativos sobre o produto.
  • Uso de chat para tirar dúvidas.
  • Amostras ou demos do produto.

OTIMIZAÇÕES QUE VOCÊ PRECISA FAZER PARA GERAR MAIS LEADS

lead-007

Falamos de como você pode usar o conteúdo tanto para atrair leads quanto para fazer com que eles percorram todo o funil de vendas até estarem prontos para uma oferta irrecusável.

Mas e como fazer para otimizar esse processo, atraindo cada vez mais leads e gerando muito mais receita para seu negócio?

Para gerar leads, primeiro é preciso gerar tráfego para seu site. Para isso, você pode investir em:

  • Otimizações de SEO em seus conteúdos, tanto no Google quanto no YouTube, para conseguir mais tráfego orgânico;
  • Tráfego pago, através de anúncios em mecanismos de busca, como o Adwords do Google;
  • As principais Redes Sociais do seu nicho, como Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn, tanto através de tráfego orgânico como impulsionamento das postagens.

A partir do momento que você consegue gerar uma boa fonte de tráfego, é hora de capturar os dados dos visitantes e transformá-los em leads através de um formulário online.

Já vimos como usar o conteúdo para fazer isso.

Porém, além da qualidade, você precisa fazer outras duas otimizações dentro do seu conteúdo:

  • Inserir caixas de captura de emails espalhadas em locais estratégicos do seu site e no meio de artigos, por exemplo;
  • Usar calls to action e apostar nas técnicas de Copywriting.

Por fim, você precisa investir em um elemento muito importante para a captação de leads: as landing pages.

LANDING PAGES PARA CAPTAÇÃO DE LEADS

lead-008

Landing pages são páginas usadas para guiar o usuário para uma ação específica.

E por que usar landing pages ao invés de páginas normais?

Tudo que você quer evitar enquanto o seu lead navega em seu site: que ele se distraia e não tome a ação que você deseja.

As landing pages são criadas justamente para evitar que isso aconteça.

Quanto menos opções oferecermos ao usuário, mais ele tende a tomar uma decisão.

Portanto, se você deseja que o lead baixe um eBook seu ou se cadastre para um webinário, você deve enviá-lo para uma landing page e não para sua homepage.

Na homepage, podem existir em torno de 50 itens clicáveis, enquanto na landing page, apenas 1, o botão com a sua call to action.

Landing pages não possuem menu de navegação, nem barra lateral.

O design é centrado no usuário, guiando-o para a conversão.

Uma landing page com foco na captação de leads irá conter um formulário, juntamente com uma descrição do que o visitante vai receber em troca para a apresentação de seus dados pessoais.

Uma página irresistível precisa ter alguns elementos fundamentais:

  • Título: comunique sua principal proposta de valor no título rapidamente, sem enrolações;
  • Imagens ou vídeo: usar a capa de um eBook ou a principal parte do infográfico é muito recomendado;
  • Benefícios: utilize 3 bullet points, simples e direto ao ponto.
  • Campo de captura de email: utilize uma caixa que envolva todo o formulário de e-mail e um texto que reforce porque o usuário deve deixar seu e-mail;
  • Botão de call to action: sua call to action deve ser bem trabalhada, sendo um texto persuasivo que incentive o usuário a seguir o próximo passo;
  • Prova Social: depoimentos, número de pessoas cadastradas na sua lista de emails ou opinião de uma pessoa influente do mercado;
  • Página pós-conversão: oferecer o download do material e incentivar o compartilhamento.

Veja o exemplo da landing page que fizemos para o infográfico “Como Fazer Um Logotipo Memorável: Tudo O Que Você Precisa Saber” aqui.

Quais os dados do seu lead que você precisa capturar?

lead-009

Regra geral: quanto mais você requisitar do seu futuro lead, menos ele tende a dar.

O que significa que quanto mais dados você pedir para que seu visitante forneça, menores são as chances dele sequer preencher seu formulário.

Nesse teste feito pela Marketo, foram usados 3 tipos de modelo de formulário, com 5, 7 e 9 elementos para serem preenchidos.

Os principais foram:

  • Nome;
  • Sobrenome;
  • Email para contato;
  • Cargo;
  • Empresa.

Nos formulários com 7 elementos, foram acrescentados número de funcionários e mercado, e no de 9 foi utilizado o campo para recolher os números de telefone e o sistema de banco de dados utilizado pela empresa.

O teste foi realizado com empresas do mercado B2B.

O formulário com apenas 5 itens teve uma taxa de conversão de 13,4% e um custo por lead de 31,24 dólares.

Já o formulário com 9 itens a serem capturados, registrou apenas 10% de preenchimentos e elevou o custo por lead para 41,90 dólares.

Como você pode perceber, claramente o número de itens em um formulário afeta a taxa de conversão.

Você deve estar se perguntando se deve optar por um formulário mais simples, mas com maior número de preenchimentos, ou se deve buscar por mais informações para captar leads mais qualificados, certo?

Mais do que uma regra clara, existe o bom senso.

No exemplo acima, os formulários eram voltados para outras empresas.

Em um primeiro momento, será que haveria a necessidade de coletar dados como número de telefone e o sistema de banco de dados?

Ou essas seriam informações que poderiam ser obtidas em um segundo momento, já com o lead um pouco mais aquecido e, portanto, mais disposto a fornecer mais informações a seu respeito?

No Viver de Blog nós achamos suficiente coletar apenas o nome e o email do lead.

O nome para uma comunicação pessoal. E o email porque é o dado mais básico de todos.

Mas nem sempre foi assim. Logo no começo do blog, a única informação pedida em troca de um material era um endereço de email válido.

Optamos por coletar nomes, mesmo sabendo que essa mudança afetaria o número de leads captados porque queremos manter uma comunicação personalizada e próxima com nosso leitores.

Portanto, pense na sua necessidade: o que você precisa saber para atender melhor sua audiência?

Para empresas que vendem para outras empresa, sugiro um formulário maior, que vá além do nome e email:

  • Empresa: para aqueles que trabalham vendendo soluções para outras empresas, esse é um dado indispensável. Só assim você poderá fazer uma pesquisa sobre o negócio do seu lead e entender melhor como seu produto/serviço poderá ser útil para essa empresa;
  • Cargo: outro dado importante para quem trabalha no mercado B2B. Entender quem é a pessoa que está interessada na sua solução, irá melhorar a sua comunicação, especialmente se você souber se aquele contato é alguém que toma a decisão ou que precisa passar para outra pessoa;
  • País e Estado: se o seu negócio não é virtual e está limitado a uma atuação local, é interessante coletar essa informação para entender se aquele é, ou não, um lead qualificado para seu negócio.

Deixo uma reflexão aqui para você:

Se um lead desistir de sua oferta de conteúdo apenas porque precisa preencher um ou dois dados além do email, será que ele seria realmente um lead qualificado e que poderia virar um cliente no futuro?

FERRAMENTAS PARA AUMENTAR A CAPTAÇÃO DE LEADS

lead-010

Ferramentas são sempre bem-vindas para ajudar a alavancar resultados.

E para a captação e gerenciamento de leads, selecionei aquelas que considero indispensáveis:

Para sua audiência entrar em contato com você

lead-011

Geralmente, quando falamos de captação de leads, levamos o visitante até a página de captura de dados.

No entanto, você também precisa ter uma área do seu site para aqueles usuários que desejam entrar em contato com você.

Para essa função, indico o plugin Contact Form 7.

Com ele, você pode colocar uma área de contato no seu site de forma bem simples.

Basta configurar as informações necessárias para a pessoa entrar em contato com você.

Para entender o comportamento do lead no seu site

lead-012

O Hotjar (link afiliado) apresenta Heatmaps, ou seja, mapas de calor, mostrando exatamente onde as pessoas clicam, para onde rolam a página, e qual foi o movimento do mouse nesse percurso.

Ao compreender como o visitante interage com seu conteúdo, você pode fazer as otimizações necessárias, como, por exemplo, escolher melhores posições para suas caixas de captura de email.

Para criar landing pages

O Unbounce é um aplicativo web para criação e análise de landing pages, páginas com foco específico em conversão (clique ou captura de email).

Uma ferramenta simples de usar, sem precisar de conhecimento nenhum de programação, para criar landing pages responsivas.

Para aumentar a captação de leads

lead-013

Com o Optin Monster (link afiliado) você consegue criar pop-ups e programá-los para abrir quando o usuário estiver para sair da sua página.

Um tipo de pop-up muito menos intrusivo do que os que interrompem sua leitura e que pode ser usado para direcionar seu visitante para sua landing page.

Para gerenciar sua lista de emails

lead-014

Usando o Mail Chimp (link afiliado), você pode segmentar sua lista de emails baseado em seu comportamento, preferências e vendas anteriores, enviando sequências de email automatizadas direcionadas para contatos específicos.

Para conhecer melhor seus leads

lead-016

O Typeform (link afiliado) permite customizar suas pesquisas para que elas se destaquem e se identifiquem com a sua marca.

Você pode escolher cores, imagens e fontes, assim como personalizar seus emails.

Para um site que captura muito mais leads

lead-015

O Épico é o nosso template premium para WordPress, que permite um design profissional para seu blog ou site, em menos de 5 minutos. E que ainda pode ser usado em vários blogs.

Mas ele está na nossa lista, porque seu layout é 100% voltado para a usabilidade e para aumentar a sua taxa de conversão.

Com ele, você pode inserir caixas de captura de email na barra lateral e também no topo da homepage, o lugar preferido dos visitantes para fazer o cadastro em nossa lista.

Clique aqui embaixo para saber mais sobre o Épico.

banner-epico-2

Para agilizar a captura de leads

lead-017

A Lead Lovers (link afiliado) é uma ferramenta “tudo em um”, que serve para criar, segmentar, programar e enviar emails, criar páginas de captura de e-mails, além de possibilitar o gerenciamento de leads.

Outra opção de ferramenta All in One é a RD Station.

Plataforma completa com todas as ferramentas de Marketing e vendas. Perfeita para aumentar tráfego e gerar mais conversões.

Para conhecer outras ferramentas usadas para seu blog ou site, clique aqui.

CONCLUSÃO

lead-018

Se você não quer desperdiçar seus recursos e nem seu tempo tentando vender para quem ainda não está interessado em comprar de você, investir na captação de leads precisa estar na sua lista de prioridades.

Com certeza seu trabalho não acaba depois que você constrói uma base de clientes, ao contrário, esse é apenas o começo.

Como vimos no artigo sobre marketing de relacionamento, apesar da aumento do uso da tecnologia no dia a dia, nunca estivemos tão interessados em manter relações mais pessoais, inclusive com empresas.

Quando quiser a atenção do seu visitante, gere valor e faça por merecer primeiro.

Post original: https://bit.ly/2ogwkiZ

Roder Cypriano
OLÁ Multicom

Agência Parceira LAHAR

Muitos empreendedores têm dúvidas sobre como expandir um negócio pela internet. Em vários casos, os empresários conseguiram se estabilizar no “mercado físico” com estratégias de divulgação offline, mas desconhecem as práticas que de fato podem trazer resultados no mundo digital.

É verdade que vivemos em um mundo só, mas é inegável que existem táticas eficazes de atração de clientes para um estabelecimento com ponto fixo, sem presença na internet, e para um negócio com forte presença digital.

Quer aproveitar o potencial da web para alavancar o desempenho da sua empresa? Veja agora 5 dicas de como expandir um negócio pela internet!

1. Invista em um site ou em um blog

Foi-se o tempo em que ter um endereço na internet era símbolo de luxo ou uma possibilidade de escolha para as empresas. Hoje, possuir um site ou um blog é praticamente uma obrigação para qualquer tipo de estabelecimento.

A vantagem de dispor de um espaço na web é estar online 24 horas por dia e 7 dias por semana — ou seja, sempre ao alcance do cliente. Como cada vez mais as pessoas buscam empresas na internet, ganha a preferência do consumidor quem está acessível no ambiente digital. Afinal, o possível cliente levará em conta a praticidade na hora de contratar alguém.

2. Saiba como expandir um negócio com o Google Adwords

A publicidade na web tem crescido a passos largos, por isso, se você quer saber como expandir um negócio pela internet, não pode deixar de levar em conta o Google Adwords. Com essa ferramenta, é possível fazer anúncios direcionados para um público-alvo altamente segmentado.

Ao utilizar o Google para uma pesquisa — tarefa cada vez mais comum hoje em dia —, o indivíduo digita o termo de busca e vê milhares de resultados. Se uma empresa faz um anúncio para determinada palavra-chave, de interesse do negócio, ela aparece nas primeiras posições da pesquisa e, com isso, é achada pelo potencial cliente.

O benefício desse tipo de publicidade é que o nível de engajamento da pessoa com a empresa tende a ser muito maior do que em um anúncio convencional, em jornal, por exemplo, já que na internet o usuário vai atrás do que procura.

3. Interaja com os potenciais clientes nas redes sociais

Estar presente nas redes sociais é praticamente um hábito da vida moderna. Se a empresa quer ser vista e notada, também deve marcar território nesse ambiente.

Contudo, não basta apenas ter um perfil ou uma página, o estabelecimento deve criar um relacionamento de longo prazo com o interessados na marca. Só com interações e com a demonstração de que se preocupa com o seguidor é que a empresa ganhará a admiração e a preferência do potencial comprador.

4. Utilize o marketing de conteúdo

Quem busca como expandir um negócio pela internet não pode perder de vista que, na web, o poder de decisão está concentrado nas mãos do usuário. Afinal, além de procurar temas do próprio interesse, ele rapidamente deixa uma página caso não aprecie as informações publicadas.

Nesse sentido, ganha relevância no mundo digital a empresa que oferece conteúdo de qualidade, que agregue conhecimento e traga soluções para o público-alvo. Tal iniciativa pode ser realizada por meio das estratégias de marketing de conteúdo, como produção de e-books gratuitos, infográficos, posts em blogs etc.

5. Monitore as visitas e as conversões do seu site

No passado, custava caro fazer uma pesquisa para medir a percepção do público em relação às estratégias de comunicação e marketing da empresa. Atualmente, com a internet a favor do mercado, a prática da mensuração tornou-se muito mais simples.

Hoje, existe uma série de ferramentas que permite avaliar como o público interage com o estabelecimento, quais palavras no Google mais levam visitantes para a página do negócio, quanto tempo a pessoa passa no site, quantos acessos são feitos por notebook ou smartphones, qual a taxa de conversão (acessos/vendas) etc.

Dessa maneira, a empresa pode preparar ações focadas especialmente nas características dos diferentes segmentos do público, aumentando as chances de fechar novos negócios.

Viu como expandir um negócio na internet é mais simples do que parece? Para continuar se atualizando sobre o assunto e receber mais conteúdos como esse, assine gratuitamente a nossa newsletter!

Roder Cypriano
OLÁ Mulicom
Quem evolui, cresce!

Agência Parceira LAHAR


Fortaleça sua empresa com o marketing digital

5 mitos das redes sociais que você deve fugir para se dar bem

Desde que as redes sociais se tornaram tão populares, a internet não parou mais de ser bombardeada com séries de eBooks e cartilhas dizendo o que fazer ou não nesses ambientes digitais, levando as pessoas que trabalham utilizando Facebook, Twitter e afins sentirem que estão pisando em ovos na hora de criar conteúdos.

O resultado disso é que muitos mitos sobre a funcionalidade da mídia social circulam pela internet.

Por isso, a especialista no assunto Gisele Giardelli, Country Manager do DeeMe, aplicativo que é mistura de WhatsApp, Instagram e Snapchat, separou alguns conceitos que são bastante difundidos, mas nem sempre são tão verdadeiros.

Confira:

– Você tem que postar em um momento específico do dia

Embora essa dica tenha uma boa intenção, ela não funciona muito bem, principalmente se sua página/blog tem alcance global.

O ponto é que a internet conecta o mundo inteiro, e o mundo todo não funciona no mesmo fuso horário.

O seu conteúdo pode ser visto às 11h da manhã por alguém no Paraná, mas aparecer na tela do celular de um usuário em Londres às 17h do mesmo dia.

Então, a lição que fica é que o que importa mesmo é um bom conteúdo.

Uma ferramenta que pode ser uma mão na roda para você é o “Simply Measured”, que mostra a você qual é o horário que seus visitantes mais acessam o seu conteúdo.

Assim, com esse dado, você pode justificar a postagem em determinado horário.

– Você tem que produzir conteúdo a toda hora

Talvez esse mito tenha nascido junto ao boom do Twitter.

Com a facilidade de postagem e enorme quantidade de conteúdo disponível na plataforma de microblogging, aparentemente, as pessoas sentem que se não postarem a todo o momento elas serão esquecidas.

Isso resulta num quadro complicado: as pessoas começam a postar tudo o que vem à cabeça e, na maioria das vezes, o conteúdo publicado é sofrido.

A dica aqui é apenas escrever conteúdo quando você realmente tiver algo a dizer. Ao pensar em um post, pergunte a si mesmo: “eu leria isso?”. Se a resposta for não, melhor pensar em uma ideia melhor.

– O Twitter já não é mais relevante

Tudo bem, o Twitter hoje em dia não tem mais o protagonismo que já teve no meio de redes sociais anteriormente, mas isso não quer dizer que ele deve ser relegado a segundo plano.

Com menos pessoas engajando na plataforma, você tem mais espaço para divulgar suas ideias.

E sejamos otimistas: tem muito usuário por aí com milhares de seguidores, mas com uma baixa taxa de retweets. Isso mostra que se você interagir com esse usuário, as chances de você ser bem-sucedido no contato são grandes. Assim, você também poderá chamar atenção para seu conteúdo e ganhar mais seguidores.

– Só trabalho duro é suficiente

A receita para o sucesso na internet é trabalhar duro, sem descanso. Essa afirmação é, em partes, verdadeira, mas só isso não é suficiente.

Ter uma posição de destaque em um nicho/segmento, muita criatividade, boa dose de personalidade e conteúdo interessante são apenas alguns elementos indispensáveis para ter uma boa visibilidade na internet.

É claro que você precisa se dedicar muito para que sua iniciativa dê certo, porém, se seu conteúdo é ruim ou igual aos milhares de blogs por aí, você só estará desperdiçando seu tempo.

Para não sofrer problemas desse tipo, tire bastante tempo para estruturar sua marca e criar estratégias que farão seu material se destacar e ser realmente interessante.

Em resumo: estude a plataforma na qual você quer construir seu império online e descubra como se destacar do mar de conteúdo que há por aí.

Crie bons conteúdos e seja consistente. Não se preocupe, tudo dará certo.

Artigo produzido pela equipe da AdNews

Agência Parceira LAHAR

Marketing de Conteúdo não é apenas um termo que está na moda: é uma estratégia de marketing extremamente efetiva. MarketingSherpa usou marketing de conteúdo para aumentar o tráfego do seu blog em 232% e as estatísticas do Buffer mostra que publicar conteúdo relevante regularmente tem um impacto maior nas finanças das empresas.

image31

Com esse sucesso todo, não é de se admirar que, de acordo com a Content Marketing Institute, “86% das pessoas que trabalham com Marketing B2C usam o marketing de conteúdo, e 55% dos que trabalham com B2C planejam aumentar seus gastos com conteúdo no próximo ano.”

Em outras palavras, se você está trabalhando com marketing diretamente com seus consumidores, seja através do seu blog, site da empresa ou loja online, você precisa saber como usar o marketing de conteúdo B2C de forma efetiva. Este guia definitivo irá te mostrar como usar o marketing de conteúdo B2C para aumentar o seu tráfego orgânico, construir uma comunidade e posicionar melhor a sua marca.

Este guia irá falar sobre:

  • O que é Marketing de Conteúdo B2C?
  • Entendendo o Consumidor B2C
  • Elementos Chave do Marketing de Conteúdo B2C
  • A Diferença Entre Marketing de Conteúdo B2B & B2C
  • Como se Tornar Bem-Sucedido Com Marketing de Conteúdo B2C
  • Estratégias de Marketing Para Marcas B2C

Faça o download desta planilha prática para começar hoje com a criação de um conteúdo B2C.

O que é Marketing de Conteúdo B2C?

Marketing de Conteúdo business to consumer (B2C) engloba os métodos e as melhores práticas utilizadas para promover produtos e serviços entre os consumidores através de um conteúdo útil e que gera engajamento.

Uma pesquisa no blog da Heidi Cohen mostra que 37% dos profissionais de marketing concordam que o marketing de conteúdo é efetivo na geração de leads, na construção do relacionamento e no aumento das vendas.

image39

Ao contrário das empresas, os consumidores finais tendem a buscar uma solução específica que resolva um problema conhecido por eles. Marketing de Conteúdo B2C pode ajudar a conhecer essas necessidades e aumentar o interesse em seus produtos.

O marketing de conteúdo é a mesma coisa que inbound marketing? Você pode estar confuso se existe uma diferença entre marketing de conteúdo (a Copyblogger é conhecida por isso) e inbound marketing (cuja Hubspot é conhecida por isso). Existem muitos debates a cerca desse assunto.

No gráfico abaixo, a HubSpot mostra o quão diferente os departamentos enxergam esses dois termos.

image19

Ainda está confuso? Eu não te culpo.

Em meu ponto de vista, depois de anos usando conteúdo para adquirir leads e fechar vendas, acredito que seja o que Mike Lieberman traduz da forma correta. Ele diz que inbound marketing descreve táticas que usam alta qualidade de conteúdo para atrair consumidores aos negócios, em vez de empurrar mensagens para eles.Marketing de conteúdo é uma parte vital de uma campanha efetiva de inbound marketing.

Inbound marketing e marketing de conteúdo trabalham juntos. Conteúdo é o elemento mais importante que você pode usar para capturar e nutrir leads, educar e construir fidelidade entre os prospects, criar interesse em seu negócio e melhorar seu tráfego de busca.

Entendendo o consumidor B2C

Para as empresas, existem muitas vantagens de marketing para consumidores, e talvez seja por isso que empresas planejam gastar mais nessa área nos próximos 12 meses.

image05

Uma grande vantagem do marketing de conteúdo B2C é que você fala diretamente aos consumidores sem nenhum intermediário, resultando em um ciclo de vendas menor (vou falar mais sobre isso depois). É o consumidor individual que toma a decisão final, usualmente com base em ambos os pensamentos, emocional e racional. Tenha isso em mente quando for criar algum material de marketing de conteúdo.

A consumidores são complexos em sua grande maioria, e eles podem não gastar tanto tempo pensando na sua marca como você imagina, como mostra esse cartoon da Marketoonist:

image34

É por isso que você tem que ser esperto no que diz respeito a seduzir os consumidores a considerarem a sua marca, colocando-os em primeiro lugar, falando a linguagem de valor deles e atingindo suas emoções.

O poder das emoções: Emoções não apenas colorem as nossas vidas; elas podem aumentar o tempo de vida útil do consumidor e as conversões de longo prazo.

Palavras certas que geram emoção podem capturar a atenção dos seus prospects e dar a eles razões para fazerem negócios com você. Existem muitos exemplos disso.

Stream Send, um provedor de email marketing e entrega de serviços sociais, usa palavras emotivas para se conectar rapidamente com os prospects e dar a eles uma primeira impressão dos benefícios que eles terão ao se cadastrarem no site.

image36

Quando o MailChimp redesenhou seu site e o tornou mais amigável e atrativo, eles aumentaram a base de clientes em 600% em um ano. E duas lojas online populares provocaram diferentes emoções entre os compradores.

image28

Ao criar conteúdo B2C, você precisa gerar emoções positivas e criar uma mensagem que vá ao encontro do que os consumidores desejam, quais são suas necessidades e sentimentos. Essa é a melhor maneira de evitar uma resistência por parte deles.

Tempo é tudo: De acordo com a List, você precisa descobrir o que desencadeia as oportunidades de venda para alcançar os prospects antes que os concorrentes descubram. E isso diz respeito a agir no tempo certo.

image46

Com frequência eu aconselho meus leitores a criarem histórias consistentes e usar o Google e o Twitter para ficar no topo das últimas tendências. Quando você faz isso, os consumidores te veem como uma fonte útil de conhecimento e começam a confiar em você e considerar a sua marca.

Não é importante apenas ter a informação, mas saber quando compartilhá-la. Recentemente eu publiquei um infográfico que mostra que na mídia social,engajamento B2C e CTRs são maiores nas quartas-feiras e nos fins de semana. E se você quiser ter mais retweets, você deveria tweetar em torno das 17h.

image30

Se você está usando email marketing, blog ou marketing de mídia social, eles sempre vão contar com um tempo certo pra ter sucesso. Um gráfico da Optimal Victory mostra que mais pessoas abrem email na quinta-feira do que qualquer dia da semana.

image06

O que sua audiência está procurando? Para ser um profissional de marketing B2C de sucesso, você precisa descobrir o que sua audiência quer. Descobrir isso é fácil, mas fazer com que eles se despertem e visitem determinados sites, esse é o X da questão.


Por exemplo, se você está trabalhando com um site ecommerce,
um estudo da Lab42 mostra que a maioria dos consumidores prefere frete grátis a desconto. E a American Express mostra a importância dos reviews para 81% dos compradores. Essa é uma excelente informação para uma loja online.Vou facilitar as coisas: todos os consumidores estão procurando por soluções para seus problemas.Descubra quais são esses problemas e você poderá direcionar seu marketing de conteúdo.

E os outros negócios? Isso é fácil! Se você quer descobrir o que os consumidores querem, tudo que você tem que fazer é aprofundar nas palavras-chave que eles pesquisam.

Veja como você faz isso, usando um exemplo da indústria automotiva.

Passo #1: Visite o Google Keyword Planner. Coloque a palavra-chave de interesse, e clique em ‘Obter ideias’.

image43

Passo #2: Clique na aba ‘ideias de palavras-chave’.

image03

Passo #3: Selecione uma palavra-chave.

image33

Passo #4: Coloque essa nova palavra-chave dentro da caixa de pesquisa, e então clique em ‘obter ideias’. Os resultados da palavra-chave de cauda longa mostram exatamente o que os consumidores querem.

image23

Os resultados nos dizem que:

  • Rear view camera installation – O consumidor quer saber como instalar uma câmera traseira.
  • Motorcycle rear view camera – O consumidor quer uma câmera traseira para uma motocicleta, e não para um carro.
  • Wireless rear view camera – O consumidor está interessado somente em uma câmera wireless.

Quando você entende o que o consumidor quer, você pode resolver seus problemas criando artigos úteis, tutoriais em vídeos, infográficos, etc. É disso que se trata o marketing de conteúdo B2C.

Elementos Chave do Marketing de Conteúdo B2C

O objetivo final do marketing de conteúdo B2C é capturar leads, nutri-los e convertê-los de prospects para clientes fiéis. Para fazer isso, você deve incluir os quatro Ps do marketing:

  • Produto
  • Praça
  • Preço
  • Promoção

Com relação a isso, Masterful Marketing descreve os elementos fundamentais de uma campanha de marketing de conteúdo B2C. Veja como eles trabalham juntos:

1. Produto direcionado: Você não pode trabalhar com conteúdo de marketing B2C sem um produto viável. Se seu produto é tangível (como um relógio), para download (como relatórios, white papers, ebooks), ou digital (software, plugins, ferramentas, etc) você precisa de um produto relevante para oferecer ao seu cliente potencial.

Por exemplo, a Escola de Fotografia Digital da Darren Rowse oferece vários produtos de alta qualidade relacionados com a sua missão principal de ajudar as pessoas a tirar melhores fotografias digitais.

image44

2. Design e experiência do usuário: Design é outro elemento principal de uma campanha efetiva de marketing de conteúdo B2C. No mercado competitivo de hoje, o design afeta a experiência do usuário. Na verdade, design é marketing.

Veja um exemplo. Conversion Rate Experts gerou $1 milhão de dólares para a Moz, com uma landing page e alguns emails. Como Kevin Woodberry e sua equipe alcançaram esses resultados? Veja o que ele disse:

image18

Da mesma forma, Cloudsponge disse que teve um aumento de 33% nas conversões depois que reformulou seu site atual:

image38

para este:

image24

3. Tamanho do mercado alvo: De acordo com Emarketer, as vendas em ecommerce B2C devem alcançar $1.7 trilhões de dólares em 2015, principalmente devido à expansão dos usuários online e mobile. Uma vez que existem mais consumidores do que empresas, isso já é uma grande oportunidade para alcançar várias pessoas.

Zappos faz isso muito bem, com uma promessa simples: se você escolher um produto de sua loja online, você opta por frete grátis e uma política de devolução gratuita de 365 dias. Isso não é apenas parte da cultura da Zappos, mas é um benefício principal para os consumidores, encorajando-os a voltarem no futuro.

image15

4. Compra emocional: Como mencionei antes, emoções são uma parte importante do marketing de conteúdo B2C. Masterful Marketing diz que as decisões de compra baseadas na emoção dos seus consumidores são baseadas em status, desejo e preço.

Timothy Sykes usa gatilhos emocionais para capturar leads e posteriormente fechar a venda. A ideia de ganhar muito dinheiro em um período curto apela para o desejo de status dos seus prospects.

image02

Nesse exemplo da 99Designs, a página apela para a emoção (‘um design que você vai amar’) enquanto faz a combinação com cores atrativas.

image10

Cor é importante para construir confiança, criar emoções, aumentar o reconhecimento da marca e conduzir às vendas. Em 85% dos casos, é o motivo por que as pessoas compram. Então escolher as cores certas é muito importante no marketing de conteúdo.

Um infográfico da KISSmetrics mostra que, se você está fazendo marketing para mulheres ou garotas jovens, o rosa pode ser atrativo para elas. Mas se você está vendendo produtos de luxo, use o preto, como faz o Yachtworld.

image16

A Diferença Entre Marketing de Conteúdo B2B & B2C

Existe uma diferença entre marketing de conteúdo B2B e B2C. Em ambos os casos, você está criando conteúdo para pessoas reais com necessidades reais, mas existe uma grande diferença no que elas estão procurando:

image25

Consumidores também tem um ciclo de vendas muito menor do que as empresas. Eles não se importam como você fabrica o produto. Eles só querem saber se ele vai atendê-los. A campanha de marketing de conteúdo B2C ajuda a fornecer informações que convertem prospects em clientes.

Por exemplo, quando um cliente decide comprar um Fire HD6 da Amazon, eles podem concretizar a venda depois de ler um review ou ver um anúncio de TV sem sequer olhar para as especificações técnicas.

image01

Por outro lado, um homem de negócios provavelmente iria olhar as funcionalidades e aspectos técnicos como parte do processo de pesquisa de mercado e tomada de decisão.

image29

Quando uma empresa quer um determinado produto ou serviço, eles podem fazer uma pesquisa adicional, ver entrevistas, fazer cursos online e participar de eventos ao vivo. Consumidores individuais podem não ter esse tempo. É por isso que o conteúdo para o consumidor final precisa ser mais curto e direto ao assunto.

Se você quer mais ideias sobre como criar esse tipo de conteúdo, leia 10 Maneiras de Melhorar Seu Marketing de Conteúdo.

Como Se Tornar Bem-Sucedido Com Marketing de Conteúdo B2C

Se você quer obter sucesso com marketing de conteúdo B2C , existem algumas coisas que você precisa fazer.

Identifique os objetivos dos consumidores: Para ser um profissional de marketing de sucesso no segmento B2C, você precisa identificar o objetivo dos consumidores, como mostra o gráfico abaixo da New Zealand Trade & Enterprise.

image14

Todo consumidor tem um objetivo. Por exemplo, 55% dos usuários mobile que usam a busca para pesquisar um produto, querem comprar dentro de uma hora.

image40

Quando consumidores compram produtos, eles esperam que eles resolvam seus problemas. A questão chave para responder com marketing de conteúdo é: o meu produto vai ao encontro das necessidades dos meus clientes?

Saiba quais são os títulos que atraem mais os consumidores: Se o último objetivo dos consumidores é se satisfazerem com a compra do seu produto, como você obtém a atenção deles?

É simples. Escreva títulos que destaquem os benefícios que eles terão.

Quanto tempo você gasta escrevendo o título perfeito que irá atrair clientes em potencial e aprimorar a sua marca? Se você está escrevendo o review de algum produto ou tutorial, se certifique de incluir o benefício daquele determinado curso, produto ou serviço no título.

De preferência, escreva títulos na voz ativa, não na voz passiva. E a menos que você esteja escrevendo um estudo de caso, escreva no tempo presente.

Aqui estão alguns exemplos de como fazer títulos mais atrativos:

Como a Segmentação de Palavras-chave Podem Melhorar o Ranking no Google – Voz passiva

Como Direcionar Palavras-chave e Melhorar o Ranking do Google – Voz ativa

6 Dicas Simples Que Você Deveria Estar Usando Para Fechar Uma Venda – Voz passiva

6 Dicas Simples Que Você Deveria Usar Para Fechar Uma Venda – Voz ativa

Agora veja alguns exemplos de títulos com benefícios bem direcionados aos consumidores que estão prontos para comprar:

Infusionsoft CRM Software – Tutorial Passo a Passo De Como Usá-lo

Como Usar o KISSmetrics Para Obter Insights de Clientes e Otimizar Para Eles

Como Criar Um Infográfico Poderoso Em 48 Horas

Essa técnica funciona em home pages também. Outbrain usa um título ativo, com um benefício impulsionado por uma tagline.

image35

E o oDesk tem um título atraente e bem direcionado (mesmo que seja na voz passiva).

image07

Crie um site amigável: Para ser bem-sucedido no marketing de conteúdo B2C, otimize seu site e torne-o amigável. Isso significa cuidar do design, conteúdo, navegação e funcionalidade.

a) Design: Design não é relacionado apenas com estética. É mais importante conhecer a necessidade dos seus visitantes com seu web design. Como um profissional de marketing B2C, seu foco principal deveria ser em capturar a atenção dos consumidores e dar a eles uma razão para ficar. Foque em um layout simples e fontes legíveis para alcançar isso.

image11

b) Conteúdo: Criação do conteúdo é importante para o design do seu site e o sucesso com o mercado B2C. Por isso é vital entender como dividir em camadas o conteúdo através do ciclo de compra. Quando você faz isso, você vai obter sucesso sempre que publicar um post, artigo, vídeo, podcast ou infográfico.

image00

c) Navegação: Quando criar um design do seu site ou loja para os consumidores, tenha certeza de que encontrarão o melhor conteúdo, de maneira que eles possam ler e tomar algum tipo de decisão.

Você nunca iria em uma caminhada sem um mapa. Ajude os consumidores a identificarem o que eles querem com um site fácil de navegar, como o site da Magazines.com:

image26

d) Funcionalidade: Essa é a última parte que faz com que um site seja amigável. O design da página funciona para os usuários e entrega o que ele promete?

Se você quer checar como seu site está indo, use a ferramenta do Quick Sprout. Ela irá analisar a URL do seu site e te dar insights sobre como melhorar seu ranking e tráfego orgânico.

image27

Design de engajamento de mídia social: Não se esqueça da mídia social no seu marketing de conteúdo B2C. Consumidores usam a mídia social intensamente, então fazer com que seu conteúdo seja compartilhável irá te ajudar a obter sucesso nas suas campanhas de marketing.

Se você quer ter mais compartilhamentos sociais, siga esses três passos simples ilustrados pela Community Organizer 2.0:

image41

  1. Determine qual conhecimento e conteúdo é compartilhável
  2. Determine onde ele será compartilhado
  3. Desenvolva oportunidades de participação

Veja como você coloca isso em prática.

1. Determine qual conhecimento e conteúdo é compartilhável: Se você quer descobrir que tipo de assunto os consumidores irão compartilhar nas redes sociais, a melhor maneira é espionar seus concorrentes e pincelar seus melhores conteúdos. Veja como fazer.

Passo um: Vá para o Buzzsumo. Coloque a URL do seu concorrente. Então clique no botão “Go”.

image04

Passo dois: Analise os compartilhamentos sociais para descobrir os tópicos que realmente fazem com que os consumidores compartilhem.

image32

No print acima, você pode ver que a Creative Energy e Responsive Web Design são assuntos populares. Uma pesquisa bem feita nesses tópicos provavelmente resultarão em um excelente engajamento social, especialmente se você usar método skyscraper do Brian Dean.

2. Determine onde será compartilhado: A melhor plataforma de mídia social para você focar irá depender do segmento e do tipo de conteúdo. Por exemplo, se você cria um infográfico, então o Pinterest e o Instagram provavelmente vão gerar os maiores compartilhamentos para você.

Um exemplo é o infográfico da Copyblogger’s Grammar Goofs, que teve mais de 179.000 pins no Pinterest.

image17

Se você na maior parte das vezes cria vídeos e posts de blog, foque no Facebook e Twitter como seus canais de comunicação. Eles funcionam bem para entretenimento, tecnologia e conteúdo sobre estilo de vida.

Upworthy gera mais de um milhão de likes no Facebook e Tweets em seus conteúdos de vídeo.

image47

Postar com mais frequência pode também aumentar o engajamento social. Um estudo mostra que postar duas vezes por dia resulta em 40% a mais de engajamento e postar 1 – 4 vezes por semana gera 71% mais engajamento.

image37

3. Desenvolva oportunidades de participação: De acordo com a Aweber, mídia social não significa apenas criar conteúdo broadcast. Pelo contrário, se trata de construir uma comunidade entre os consumidores e potenciais clientes. Afinal, é por isso que se chama mídia “social” e não apenas “mídia”.

Se você quer aumentar o engajamento social com seus clientes, você deve participar plenamente, dar boas-vindas, saber o que seus fãs querem e sempre agregar valor à conversa.

Seja um grande contador de histórias: Marketing de conteúdo B2C é baseado em storytelling. Transmedia mostra como o storytelling conduz a uma visibilidade e pode atrair uma audiência nova para o seu site.

image09

Mesmo que não seja uma obra-prima, conte a história da sua marca, pois os consumidores gostam de ouvir isso. Se isso puder conectar com seus consumidores e trazer um apelo emocional, sua estratégia de conteúdo irá prosperar.

Se você é um blogueiro, um palestrante ou escritor, escrever uma história que você seja apaixonado por ela irá te ajudar a se conectar de forma mais profunda com seus clientes.Então como você conta uma história que se conecta com consumidores? Policy Genius recomenda que você conte uma história por vez; nunca crie um link das histórias. Se você mudar o foco da sua história principal, você perderá sua audiência e irá prejudicar sua marca.

image21

Como escrever conteúdo B2C: Eu mencionei antes que a atenção dos consumidores se dispersa mais rapidamente. É por isso que você precisa de uma mensagem clara ao escrever conteúdo B2C. Aqui está um guia rápido:

image42

Lembre-se,  o propósito do conteúdo B2C é dar informação de valor aos consumidores. Ao contrário do marketing tradicional, conteúdo B2C não deve interrompê-los. Attach Media destaca as diferenças principais aqui:

image48

Leia meu guia para ver como escrever conteúdo B2C que irá dominar seu nicho e gerar mais tráfego e links confiáveis: 37 pontos de um check-list: Como Criar Conteúdo Que Irá Aumentar Seu Tráfego Até Amanhã De Manhã.

Estratégias de Marketing Para Marcas B2C

Conteúdo é a melhor ferramenta que uma empresa B2C pode usar para adquirir e nutrir os leads e convertê-los em clientes. De maneira geral, esse conteúdo deve ser relevante e oportuno. Ele também precisa ser original: um estudo recente da Adage mostra que 69% dos consumidores preferem conteúdo original a conteúdo reaproveitado.

image13

Quais são as melhores maneiras de atrair consumidores com marketing de conteúdo B2C?

Blog: É uma das melhores estratégias que você pode usar. De acordo com a HubSpot, empresas que usam blog regularmente geram 55% mais visitantes ao site do que os que não usam.

Isso dá muito trabalho, mas uma vez que você o faça corretamente, o blog irá funcionar bem. O único problema é que, com mais de 74,6 milhões de sites apenas no WordPress, você precisa ser diferente e se destacar. É por isso que criar conteúdo relevante será um desafio maior este ano.

image49

Entenda sua audiência: Isso envolve conhecer a intenção por trás das pesquisas de palavras-chave. Por exemplo, quando você descobre uma palavra-chave tal como “hospedagem na web confiável em Denver”, você sabe exatamente o que as pessoas estão querendo encontrar – e o que ele ou ela não quer. Ignore a intenção do usuário e isso vai custar caro para você.

A pessoa que está fazendo a busca não está interessada em uma empresa de hospedagem barata ou popular, mas em uma que irá entregar o que promete em pelo menos 99% dos casos. Você também pode dizer que a pessoa que fez a busca não é crua quando o assunto é hospedagem. Ao criar conteúdo B2C, use essa informação para construir algo que vá ao encontro das necessidades do usuário no que diz respeito a uma empresa de hospedagem confiável, que se localiza em Denver.

Escreva títulos clicáveis: Eu já falei sobre títulos anteriormente, mas vale a pena ir mais a fundo com esse assunto. Ao criar conteúdo B2C, você quer que os leitores cliquem. O segredo está no título. A habilidade em escrever conteúdos atrativos ajudou a Upworthy a aumentar o número de visitantes únicos para 88 milhões em novembro de 2013.

image08

Upworthy se especializou em “títulos curiosos.” Esses títulos deixam os consumidores desesperados para verem do que se trata e mais empolgados para compartilhar:

image20

Nota: Quando você acrescenta curiosidade em seu título, tenha certeza que o conteúdo realmente satisfaça a curiosidade do consumidor. Senão você irá prejudicar a sua marca e vai perder os leitores em vez de conquistá-los.

Além disso, se você está oferecendo um produto ou serviço em seu blog, toda parte do conteúdo que você criar deve ser direcionada a construir confiança e dar aos consumidores potenciais uma razão para permanecerem fiéis a sua marca.

Um benefício direcionado no título destaca o valor do seu assunto/produto ou serviço. GetResponse faz isso muito bem.

image22

Você pode usar estes títulos como inspiração para novos conteúdos:

  • Como Negócios Locais Podem Aumentar As Vendas Através Do Email Marketing
  • 10 Táticas Efetivas De Email Marketing Para Donos De Negócios Locais
  • Você Quer Atrair Clientes Locais Apenas Enviando Emails?

Use automação de marketing/nutrição de leads:

Automação de marketing é um sistema que cuida da sua geração de leads, nutre os clientes potenciais e os converte em clientes. Uma solução de email marketing solution como da Aweber pode te ajudar com isso.

image45

De acordo com a Magnet 360, essa é a maneira mais rápida para aumentar o CRM (customer relationship management. Conecte o CRM com as vendas e você irá facilmente adquirir leads e nutri-los até que eles comprem seu produto.

Crie infográficos: Infográficos são uma ferramenta poderosa de marketing, porque eles são visuais em sua essência.

De acordo com essa pesquisa, 50% do cérebro é dedicado a funções visuais e 65% da população são pessoas que aprendem mais facilmente por meio do visual.

Isso significa que não é preciso falar da importância de trabalhar com infográficos.

Dos 15 tipos de conteúdo que levam a um maior tráfego, infográfico é um dos meus favoritos, pois este estudo mostra que infográficos são curtidos e compartilhados na mídia social em média três vezes mais do que qualquer outro conteúdo. E isso funcionou pra mim.

Se você está pronto para usar infográficos para conquistar prospects e convertê-los em clientes, leia este guia: 60.000 Visitantes e Contanto: Como Dobrar Seu Tráfego Com Infográficos.

Conclusão

Agora você já sabe como se conectar com seus clientes com conteúdo B2C. Para fazer ainda mais, use a combinação de artigos, posts de blog, vídeos, infográficos e podcasts, o que o Blue Glass chama de “estratégia de marketing de conteúdo multicanal.

Isso irá te ajudar a conseguir engajamento e nutrir relacionamentos, onde quer que seu público alvo esteja.

Qual estratégia de marketing de conteúdo B2C tem funcionado para você?

Link original desta matéria: https://neilpatel.com/br/2015/12/13/o-guia-definitivo-para-marketing-de-conteudo-b2c/

Agência Parceira LAHAR

Quem acompanha o nosso blog sabe que um dos primeiros passos ao planejar as ações de marketing digital de um cliente é identificar a persona dele, assim é possível entender bem o público e realizar ações segmentadas de acordo com os seus interesses e necessidades. Essa é uma etapa fundamental do processo, mas ainda é apenas o começo.

Para oferecer uma estratégia completa e conseguir apresentar resultados concretos, é preciso conhecer – e utilizar – o funil de vendas (ou funil do marketing). Mas afinal, o que é o funil de vendas?

Ele é formado por estágios que contabilizam desde o número de visitantes do site, no topo do funil, até aqueles que virarem clientes.

Na metodologia de Inbound Marketing focamos em 4 estágios principais: visitantes, Leads, oportunidades e clientes. Neste post vamos considerar um estágio intermediário, Leads qualificados, para facilitar o processo entre as etapas Leads e oportunidades.

Visitantes

O primeiro passo é trazer o público para o site do cliente e para isso podem ser adotadas diversas estratégias, como: produção e otimização de conteúdo (SEO), anúncios em mídias pagas, presença em redes sociais, participação em outros sites (guest posts) e etc.

Nesse estágio o site recebe o mais variado tipo de visitante, desde curiosos até os que já estão buscando por uma solução específica.

Disponibilizar conteúdo em um blog é uma excelente maneira de atrair visitantes qualificados e estar bem posicionado nas buscas do Google.

Além, é claro, de passar sensação de credibilidade ao visitante, uma vez que ele encontra as informações atuais sobre o que está buscando.

Se o blog tiver uma atualização frequente, com conteúdos de interesse do público, pode se tornar referência na sua àrea de atuação. Mais para frente neste post você vai ver outros benefícios do blog na conquista de novos clientes.

Para analisar essa etapa, é importante ter uma ferramenta para ver as páginas mais acessadas, os conteúdos mais visitados, a taxa de retorno das visitas e outras métricas essenciais para entender o comportamento do público e validar o planejamento de palavras-chave executado.

Como ainda não conhecemos quem são nossos visitantes, precisamos fazer com que eles se tornem Leads, ou seja, deixem seus dados e passem para o próximo estágio do funil.

A melhor maneira de fazer isso é capturar esses Leads por meio de formulários em páginas que oferecem algo em troca (Landing Pages), como eBooks, webinars, infográfico e outras ofertas.

Leads

Nem todos os visitantes que chegam ao site estão no momento de compra, alguns podem estar pesquisando soluções ou ainda nem ter ideia que precisam comprar o serviço/produto do seu cliente. Por isso é importante entender quem qual estágio da jornada de compra eles se encontram para avançá-los nesse processo.

Com Landing Pages é possível obter informações valiosos do público do cliente, como seu email, nome e interesses, por exemplo, facilitando um contato posterior.

O relacionamento que será construído a partir daí é que vai determinar se o visitante irá desenvolver um interesse pela solução e virar um cliente (seja por uma compra ativa ou por uma abordagem de sucesso da equipe comercial do cliente no fim do funil).

Para entender se as ofertas geradas estão de acordo com que o público está buscando, acompanhe as taxas de conversão de visitantes em Leads, tendo em mente que a média de mercado gira em torno de 20%.

Apenas gerar Leads não é o suficiente, já que o objetivo final é gerar mais vendas para o cliente. Por isso a próxima etapa do funil são Leads Qualificados.

Leads Qualificados

Nesta etapa intermediária que coloquei aqui, iremos trabalhar apenas os contatos que podem trazer retorno financeiro para nosso cliente e chegar ao estágio final: vendas.

É trabalho do time de Inbound Marketing fazer a qualificação dos Leads existentes na base para que sejam trabalhados como oportunidades (próximo estágio).

Antes de tudo deve ser acordado qual é o perfil de Leads que devem ser repassados para a equipe comercial do cliente.

Cada empresa terá seus critérios, que podem ser tamanho da empresa, segmento, número de materiais baixados (pois indicam o interesse do Lead) e etc.

Este gráfico de qualificação mostra como determinar os Leads qualificados. Deve-se analisar dois eixos: o perfil (fit) do cliente e sua intenção de compra.

Por exemplo: um Lead se encaixa no perfil ideial do cliente, que é diretor de finanças de empresas grandes. Ele estará bem posicionado no eixo Y, então deve-se analisar o eixo X.

Se ele só baixou um material e ainda um material introdutório, o que mostra que ele está no início da jornada de compra, ele não é um Lead qualificado e deve ser trabalhado relacionamento para que chegue nessa etapa.

Por outro lado, se um Lead tiver alto interesse de compra, mas não estiver de acordo com o perfil do público que o seu cliente deseja (for um estudante, por exemplo), ele também não está qualificado (e nesse caso nem adianta apostar em relacionamento), pois ele está abaixo da linha “não qualificados” no eixo Y.

Uma ferramenta de Lead Scoring pode fazer esse processo de qualificação de maneira automatizada a partir de parâmetros como: cargo, segmento, tamanho da empresa, localização, nível de interação, interesse de compra, etc.

Lembra que lá no começo falei que o blog seria importante outra vez? Esses conteúdos podem ser muito bem explorados durante o relacionamento com os Leads, ação que os torna qualificados.

O envio de email marketing com sugestões de conteúdos do blog, assim como eBooks, webinars e etc são excelentes para encaminhar os Leads pela jornada de compra.

Quando os Leads estão prontos, podem ser passados ao time de vendas.

Oportunidades

Aqui entendemos que o Lead já está pronto para ser abordado de forma comercial, pois atende um perfil adequado e demonstrou interesse no negócio do cliente.

Chegou a hora de entregar essas oportunidades para o time de vendas dele.

Para o processo fluir bem, é importante que essa passagem aconteça de maneira estruturada e que todas as informações de interação realizadas pelo marketing possam contribuir para o sucesso do primeiro contato comercial.

Isso pode ser feito por meio de planilhas ou softwares com integração com CRM, assim todas as informações presentes no histórico do relacionamento são passadas para o vendedor, que pode ir direto ao ponto de interesse do Lead e ter mais chances de torná-lo um cliente.

A equipe de vendas deve ter conhecimento dos assuntos abordados por marketing, dos conteúdos que ele consumiu e saber como abordar aquele perfil de Lead que não necessariamente solicitou um contato comercial, mas já demonstrou interesse em uma solução como a que será ofertada.

Para quem trabalha com número de oportunidades como entrega final para o cliente, procure analisar constantemente a qualidade dos Leads passados para o time de venda e a taxa de conversão em clientes e, com isso, identifique possibilidades de fazer melhorias e entregar cada vez mais Leads que atendam a necessidade da empresa, aumentando o retorno sobre o investimento (ROI) e a satisfação do cliente.

Clientes

Esta é a etapa que geralmente a agência possui menor atuação, mas ter a informação de quais Leads se tornaram clientes e conhecer todo seu processo no funil de vendas, ajuda a entender quais ações estão trazendo retorno real ao cliente (faturamento).

Ter uma visão completa do funil permite visualizar métricas importantes e mostrar ao cliente as entregas feitas e provar o valor do seu trabalho.

O cliente enxerga que o investimento realizado na contratação da agência gera um retorno positivo ao seu faturamento, de maneira direta –possibilidade de aumentar seu escopo de serviços!

Ainda pensando nesta etapa, é possível propor ações de pós-venda para reter e fidelizar clientes, fazer upselling e/ou cross-selling, aumentar as chances de uma nova compra e indicações de novos clientes.

Essas ações costumam ter um CAC (custo de aquisição) muito menor e trazem grande retorno financeiro, em faturamento para o cliente.

Para fazer uma análise do comportamento do funil de vendas do seu cliente e encontrar pontos de melhoria para levar o maior número de visitantes até o estágio de clientes, disponibilizamos uma ferramenta gratuita e eficaz o Funil do Marketing, em parceria com a Contentools.

Redação: Karyn Serratine

Agência Parceira LAHAR

Se você faz alguma ação de Marketing Digital, precisa entender que os investimentos no Google AdWords e Facebooks Ads, não vão ser tão eficazes (pra não dizer que não vão dar em nada), se você não levar em conta o Tripé do Inbound Marketing.

Não é um conceito novo. É uma afirmação. É a mesma coisa que você comprar um carro que atinge 380 km por hora em 12 segundos, sendo que você vai andar com esse carro numa cidadezinha do interior, onde só tem ruas de barro, cheias de buracos e, além disso, você só pode usar o carro nos fins de semana.

Ou seja, você investiu um bom dinheiro numa ferramenta que não vai te te trazer benefícios nenhum, pois você não tem como aproveitar o máximo dessa máquina fantástica.

Neste artigo, falaremos sobre o conceito de Inbound Marketing e como ele se compõe, para obter melhores resultados, de três partes distintas: Marketing Digital, Marketing de Conteúdo e a Automação de Marketing.

Para isso, exploraremos os conceitos e mostraremos, principalmente, a importância disso no mundo contemporâneo conectado e moderno, onde houve uma mudança no perfil do consumidor.

Ficou interessado? Informe-se no nosso artigo!

O que é Inbound Marketing

Podendo ser traduzido como Marketing de Atração, esse termo foi cunhado pela primeira vez em 2013 pela Hubspot, uma das principais empresas do setor.

Esse método veio para contrapor as formas tradicionais de se fazer Marketing em que o seu público está consumindo um determinado conteúdo e é interrompido para ser informado sobre o seu produto ou serviço.

O Inbound veio para inverter essa ordem, trazendo primeiro o conteúdo de relevância para o seu público e, como consequência dele, vem a exposição da marca.

Além disso, o Inbound Marketing é, em média, 62% mais barato que o Marketing Tradicional e leva em consideração que 9 em cada 10 consumidores virtuais usam a internet para se informar antes de fazer uma compra.

Essa forma de se fazer Marketing é apoiada em um tripé que a sustenta: o Digital, o de Conteúdo e a Automação.

Vamos entender cada um deles para que você possa saber como consolidar bem o seu trabalho de Inbound.

Marketing Digital

Apesar de ser um dos principais componentes do Inbound, o Marketing Digital não está abaixo dele. Na verdade, está mais para o contrário.

O Marketing Digital nasceu junto com a própria internet e ele pode ser resumido em toda forma de se expressar no ambiente digital. Dentre essas formas, encontra-se o Inbound.

O Marketing de Atração (Inbound Marketing) nasceu dentro do ambiente digital, tendo-o como premissa e dependendo dele para se sustentar. Por isso, o Digital é um dos seus pés.

Plataforma básica

O Marketing Digital vai desde os banners nos portais de grandes notícias até um tweet feito por uma marca. Ele permeia todos o processo de se fazer Inbound, sendo de fato, a plataforma em que todo o trabalho de comunicação entre a sua empresa e o cliente se desenvolverá.

Marketing de Conteúdo

Se o Marketing Digital é a base, o de Conteúdo é o motor da sua estratégia. É por ele que o Inbound acontece e é nele que você ou sua agência digital passará mais horas se debruçando.

Como dissemos, o Inbound parte do princípio de criar algo relevante que atraia a atenção do seu cliente. O estudo que organiza e gerencia essa forma de se criar um conteúdo atrativo é o Marketing de Conteúdo.

Essa área nova no Brasil e no mundo só começou a ganhar força em 2015, mas hoje, várias empresas já praticam seus princípios e, melhor, já cultivam grandes resultados por meio dele. O Marketing de Conteúdo racionaliza o processo de se criar conteúdo, dando-lhe força e direção para atingir seus objetivos comerciais.

Funil de vendas

O Marketing de Conteúdo parte de um conceito chamado “Funil de Vendas”, que estuda profundamente seus clientes e os transforma em “Personas”. A partir daí, cria-se conteúdos direcionados com foco no que seu público quer ler, ver ou ouvir e transforma-o, de completo desconhecedor da sua empresa em um potencial cliente (chamado lead). Até ele, de fato, tornar-se alguém que traga algum retorno financeiro para o seu negócio. Tudo isso com um custo, muitas vezes, menor que o do Marketing Tradicional.

Automação de Marketing

O Marketing de Automação é o grupo de definições e processos feitos por meio de softwares para gerenciar todo o processo de Inbound.

Nascido apenas como uma plataforma para controlar os leads de forma mais simples e rápida, a Automação se expandiu para todo um conceito de segmentação de pessoas para fazer uma comunicação ainda mais direcionada. Consequentemente, mais assertiva, diminuindo os custos, o tempo e os esforços das equipes, tanto de Marketing quanto de Vendas.

Assim, cria-se uma verdadeira máquina de vender, com alto índice de eficiência, mas com um toque humano que permite a relação entre empresas, seus clientes e proporciona o aprendizado.

Hoje, com as novas demandas que os consumidores têm, não basta ter um bom produto em mãos e uma forma criativa de vendê-lo.

Os públicos estão se tornando seletivos ao conteúdo que absorvem, que se expõe e as novas formas de comunicação estão permitindo essa seleção para eles.

O jeito não é ir contra a tecnologia, mas usá-la ao seu favor e se adaptar aos novos tempos e às novas necessidades do seu público.

Ensine

O desejo de compra sempre vai existir. Mas as formas de se transmitir esse desejo é que tem de se adequar aos dias e às tecnologias em que estão inseridos.

Crie algo relevante, que ensine e agregue ao seu público. Essa é uma das formas mais promissoras de se fazer isso.

Com bastante conhecimento sobre as possibilidades que o Marketing Digital proporciona, uma boa execução dos princípios de Conteúdo e o uso correto de Automação, sua empresa está pronta para executar uma estratégia de Inbound com eficiência e assertividade.

O importante é entender bem cada conceito e ter uma equipe especializada para planejar e executar cada passo do plano para o seu negócio com qualidade e foco nas vendas.

O nosso artigo lhe ajudou? Deixe seu comentário com sua dúvida ou opinião e boa sorte na sua nova estratégia!

Se precisar, entre em contato com a gente.

Roder Cypriano | OLÁ Multicom | 48 3442.3443
Agência Certificada RD Station

produção de sites