Vamos ajudar sua empresa a arrebentar em vendas

Desde 2021 um assunto vem tirando o sono de muitas pessoas, desde os aficionados por tecnologia até os mais leigos, as NFTs. Capazes de movimentar bilhões de dólares, os tokens não fungíveis estão sendo cada vez mais comercializados.

A sua criação causou uma revolução na chamada economia digital e, a cada dia, vem transformando-a ainda mais. Se você quer entender, de uma vez por todas, o que são essas NFTs, como elas funcionam e os seus impactos no comércio digital, é só continuar a leitura!

 

Afinal, o que são NFTs?

NFT se refere aos non-fungible tokens, ou tokens não-fungíveis, em português. Para entender melhor o termo, imagine a seguinte situação: você tem uma moeda de R$1 e a troca por outra moeda de R$1, continuará tendo em mãos o mesmo valor, porque qualquer moeda de R$1 é igual a outra. Isso faz do dinheiro um bem fungível, ou seja, que pode ser facilmente trocado por outro de mesma espécie, qualidade e quantidade.

Já no caso dos bens não-fungíveis, a troca não é tão simples. Esta categoria de bens se difere pela exclusividade. Seguindo a mesma linha do exemplo anterior, se você é proprietário de uma obra de arte de um famoso pintor. Ainda que você a trocasse por outra obra do mesmo artista, seus valores seriam diferentes, já que se trata de itens únicos.

Quando aplicada ao conceito de tokens, a qualidade não-fungível ganha ainda outros significados. Os tokens representam algo digitalmente, seja um registro online de propriedade ou um ativo digital. Portanto, um NFT seria a representação de um bem único, que garante um certificado de posse digital e inviolável, já que são armazenados através de blockchains, como as criptomoedas. Com isso, o comprador tem garantido um registro oficial e único de determinado ativo. Mas não se engane: NFT e criptomoedas são duas coisas diferentes.

 

Qual a diferença entre criptomoedas e os NFTs?

Quem já ouviu os nomes Bitcoin e Ethereum sabe que as criptomoedas estão se tornando cada vez mais populares. Elas permitiram o surgimento de novos formatos de ativos digitais, o que tem atraído milhares de investidores e movimentado valores consideravelmente altos.

Mas o conceito de criptomoedas é diferente do NFT. Em suma, os tokens são ativos que compõem o mercado de criptomoedas. Enquanto as moedas digitais possuem sua própria blockchain, por exemplo, os tokens utilizam um sistema de autenticação de terceiros. A blockchain da Ethereum tem sido a mais utilizada para o desenvolvimento dos tokens não-fungíveis, mas outras redes também permitem a criação de NFTs.

Outro conceito que os diferencia é justamente a questão da exclusividade. As criptomoedas são consideradas fungíveis, já que suas unidades possuem valor equivalente. Já os NFTs, com seu valor único e difícil de equiparar, têm sido os responsáveis por mega transações na compra dos ícones digitais mais inusitados.

Exemplos das movimentações financeiras dos NFTs

Os tipos de NFT mais comuns envolvem produções artísticas. A obra digital “Crossroad”, do artista norte-americano Mike Winkelmann (mais conhecido como Beeple), foi vendida por US$ 6,6 milhões no início de 2021, após ser transformada em um token não-fungível.

Mas nem só de arte são feitos os NFTs. Não de arte tradicional, pelo menos. O meme em formato de GIF, conhecido como Nyan Cat, foi vendido por US$ 590 mil. Juntamente à aquisição do ativo, o agora proprietário da imagem do famoso gatinho colorido detém os direitos de compra e venda do produto. Sempre que for reproduzido em algum material comercial, ele deve render lucros.

E como não citar o mais recente sucesso das bilheterias internacionais. Em novembro do ano passado, a rede de cinemas AMC distribuiu 86 mil NFTs aos clientes que garantiram antecipadamente os ingressos para assistir ao filme Homem Aranha: Sem Volta para Casa. Isso fez com com que as entradas para a exibição do novo filme da Marvel se esgotassem em poucos minutos.

 

Como os NFTs poderão impactar o comércio eletrônico

A não-fungibilidade dos tokens vem impulsionando o mercado e permitindo novos tipos de negociações. Aqui, os usuários não se limitam às trocas monetárias, pois podem também usufruir da troca de ativos, sejam eles digitais ou físicos.

Devido a sua capacidade de preservar os dados das transações, os NFTs estão em posição de impulsionar a próxima geração de comércio eletrônico, ou seja, comércio descentralizado (dCommerce).

Ao usar NFTs para eliminar intermediários de comércio eletrônico, os consumidores podem desfrutar de uma nova era de comércio ponto a ponto (P2P). Também permitirá que varejistas menores recuperem sua posição em meio ao domínio crescente dos gigantes do comércio eletrônico.

 

O que esperar do futuro das NFTs?

Como você viu, as NFTs estão movimentando muito dinheiro por todo mundo e espera-se que elas façam uma verdadeira revolução na maneira como compramos bens não-fungíveis.

Por isso, as marcas devem permanecer abertas a novas ideias e projetos. Ainda mais aqueles capazes de impactar todo o mercado de vendas online.

Provavelmente haverá muitas mudanças e desafios ao longo do caminho, o que inclui orientar os consumidores sobre essa nova tecnologia. Ficaremos atentos a mais atualizações sobre está novidade.

Aproveite e siga-nos nas redes sociais para não perder nenhuma novidade. Estamos no Facebook, Instagram e LinkedIn.

Até mais!

Agência Parceira LAHAR

Roder Cypriano

Olá Multicom – Agência de Inbound Marketing